Chegou a hora de comemorar!

Depois de uma longa jornada pelas terras do Alentejo, vamos apresentar o resultado de mais uma aventura de sons e sentidos.

Gostaria de convidar a todos e todas para os lançamentos do Caderno de Danças do Alentejo, Vol. 01

*Terça-feira – Dia 26 de outubro – Melides e Castro Verde – Entrega de livros aos dançadores entrevistados

*Quarta-feira – Dia 27 de outubro – Évora – 19 horas na Sala 131 – Auditório do Colégio Espírito Santo da Universidade de Évora

*Sexta-feira – Dia 29 de outubro – Monte Estoril – 18h30 no Museu da Música Portuguesa

*Sábado – Dia 30 de outubro – Lisboa – Oficina de danças alentejanas com Lia Marchi e Celina da Piedade – Festival Tradballs

Um especial agradecimento a todos os dançadores e dançadoras que nos receberam, aos nossos apoiadores que viabilizaram a iniciativa e a toda a equipe do projeto.

Dia 29, Museu da Música Portuguesa
Anúncios

Minha vida portuguesa

Um final de semana de emoções luso brasileiras!

No sábado, uma tarde de sons e sentidos no Museu da Música Portuguesa com a realização do Seminário (re)Descoberta do Brasil pela Música Tradicional.

Na platéia, a grata surpresa de ter alguns alunos da oficina que aconteceu ano passado nesta mesma casa, sobre o uso do repertório tradicional na educação infantil, intitulada Folclore na escola.

É uma alegria que tenham retornado para contar as boas novas! E o Zé, trouxe-me lá do Norte, o Galo de Barcelos! Finalmente um português deu-me este, que é um dos objetos de arte popular portuguesa que eu sempre quis e me faltava. Valeu Zé! Adorei…

Sempre uma alegria estar no Museu, casa de todos nós e das nossas sonoridades. E como sempre, impecáveis! Um passeio que recomendo aos brasileiros e aos portugueses. 

Meu galo de Barcelos.

 

Domingo, um dia para marcar corações. Fui ao Círio em Peniche e tive o privilégio de acompanhar um encontro de bandeiras como não fazia há tempos.

A festa, em homenagem a Nossa Senhora dos Remédios reuniu a volta do santuário bandeiras vindas de diferentes localidades de Portugal e da Espanha.

Ao longo do dia, os Círios estiveram pelo recinto, deram as tradicionais três voltas na igreja acompanhados do toque da gaita, cantaram-se as loas…

Ao redor da festa religiosa, as pessoas. A feira, os encontros, as comidas e os almoços coletivos, as conversas da aldeia. Toda gente em dia de festa, vestindo seu melhor, por fora e por dentro.

E eu, lá estive… Sob a sombra das bandeiras, coração tranqüilo a viver a festa, a sentir a alegria das pessoas, a ser acolhida pelos amigos. Aquele sabor de que a tradição se faz todos os dias. Perfeito para comemorar um fim de livro. 

Viva a festa! E que venha a folia!

Bandeiras que vão...

 

Bandeiras que vem...

 

Êba! Mais uma festa com gaita!

 

Gaiteiro e gaiteiro Júnior, tradição todos os dias.

Já não olho os outros nos olhos…

Não, já não olho os outros nos olhos. Ando a sombra, entre as árvores frondosas a caminhar fugidia pelo passeio.

Hoje não. Hoje é só minha. Hoje a música é só minha. Hoje a dança é só minha. São só minhas as palavras.

Hoje sou traidora de mim mesma. Recuso-me a fazer o prazeroso esforço da partilha.

Tenho medo de olhá-los nos olhos, e que vejam, que saibam, que roubem do brilho o segredo; e descubram que já o tenho. Que é sólido. Que se pode ver. E tocar. Que saiu daquele líquido de pensamentos e emoção, de medos e alegrias, memórias, suores e sonhos. Que existe. Tem cheiro e se o morder, sentirei o seu sabor.

Não. Amanhã será nosso. Mas hoje é só meu.

E ninguém ainda sabe que está pronto o livro.

09/10/2010 Caderno de danças do Alentejo Vol.01 – Em breve nas melhores livrarias.